Espinho No Lençol
Lourenço e Lourival

Faz hoje um ano que a solidão
Sem compaixão vivia tirar meu sono
Sobre o meu leito sem os seus carinhos
Rolo em espinhos num triste abandono
Se o que sinto ela também sente
Então a gente ta sofrendo por gosto
Pra que sofrer se somos o remédio
Pra curar o tédio que nos do desgosto

Faz hoje que foi pra longe
Vivemos hoje como a lua e o sol
Em nossas camas um do outro alem
Parece que espinho no lençol
Em nossas camas um do outro alem
Parece que espinho no lençol

Faz hoje um ano nossa despedida
E a dor bandida não chega ao fim
Restam-me agora os meus versos tristes
Que ainda insiste a falar por mim
Viola amiga num luar de prata
Em serenata chora em meus braços
A implorar que um grande amor regresse
Para quem padece sem os seus abraços

Faz hoje que foi pra longe
Vivemos hoje como a lua e o sol
Em nossas camas um do outro alem
Parece que espinho no lençol
Em nossas camas um do outro alem
Parece que espinho no lençol