Flor do Sertão
Lourenço e Lourival

Caboclinha do sertão
Que na noite de São João dançando de pé do chão
Não tem luxo e nem vaidade
Com sua simplicidade conquista os coração.

Caboclinha tão faceira
Que tem a pele trigueira pura raça brasileira
Que mora numa palhoça
E no serviço da raça deixa os homens da rabeira

Embaixo do céu de anil
Cheio de encantos mil és a linda flor que abriu
És tu cabocla formosa
És a mais linda rosa que enfeita nosso Brasil.

Caboclinha das palhoças
Orgulho da terra nossa essa modinha é vossa
Estes versos eu ofereço
Porque nunca me esqueço dessas mocinhas da roça