Lua Branca
Lourenço e Lourival

Lua Branca que às vezes vem à cidade
Só para trazer saudade dos meus tempos lá da roça
Em noite escura você vinha sorrateira
Nem precisava fogueira no terreiro da palhoça
Ali a gente com a viola frente ao peito
Sem tristeza e preconceito, vivia sempre a cantar
Jamais pensei que o destino traiçoeiro
Separasse o seresteiro do sertão e do luar

Lua Branca, obrigado da visita,
Sempre meiga e bonita como eu te conheci
Estou morando em casa nobre na avenida,
Lua Branca és minha vida e jamais te esqueci

A palhoça no terreiro não existe,
Só a natureza triste lamentando a sua dor
Em noite escura tu ali nem faz parada,
Não se sente inspirada sem poesia e cantador
Minha viola veio comigo pra cidade
E choramos de saudade quando você aparece
Lua Branca venha sempre com encanto
Para acalentar o pranto desse alguém que não te esquece