O Tanto Que Gosto Dela
Lourenço e Lourival

Não tenho vergonha de dizer que choro
Quando ela sai por aquela porta
Não tenho vergonha em chorar também
Quando ela vem diz que está de volta.

Mas os meus amigos tem me criticado
Eu fico calado, porem sigo meu rumo
E só por que não curto mais uma balada
Por ela me ausentei das longas madrugadas
Não vou mais ao bar, não bebo e não fumo.

Pode me xingar, me jogar na cara
Estou arrastando um caminhão por ela
Quem vive por aí zombando do meu pranto
E que não sabe o quanto que eu gosto dela.