Prima Suzana
Lourenço e Lourival

Sou do Paraná lá de Apucarana
Atravessei Xavantina e a Sorocabana
Cheguei em São Paulo, parei três semanas
na casa dos tios na vila Mariana
Pra gozar dos carinhos da Prima Suzana.

Titio é mineiro, titia baiana
A priminha é paulista tem uma cor bacana
É um pingo de orvalho quando cai na grama
E a flor mais bel a que tanto me ama
Eu não poso ir embora e deixar a Suzana.

Fui pra Mato Grosso lá pra Aquidauana
A priminha foi junto na besta Ruana
Pro mato grosso nos deixamos fama
Mestiço arisco de guampa cabana
Dava berro no laço da prima Suzana.

O tito ta bravo igual caninana
Ta me perseguindo quer me por na cana
Já comprou um shimidt e faca lapiana
Priminha me ama e não desengana
Eu prefiro morrer mas não deixo a Suzana.