Ruas do Infinito
Lourenço e Lourival

Dias desses tive um sonho
Deus que sonho mais bonito
Eu estava passeando
Pelas ruas do infinito
De repente uma viola
Me despertou atenção
Era uma roda de amigos
Numa linda afinação

Me aproximei de mansinho
Quase nem acreditando
Tião Carreiro e Pardinho
Estavam ali cantando
Eu vi Tonico e Tinoco
Num dueto cristalino
Zé Fortuna e Pitangueira
Entoavam belos hinos

Eu vi Neneti e o Dorinho
Prozeando com Biá
Sulino e Marueiro
Zilo e Zalo e o Goiá
Tião do Carro e Zé Matão
João Pacífico e Palmeira
Caetano e Baiabel
Vi também Ted Vieira

Vi Leôncio e Lenel
Com destino ao festejo
Raúl Torres e Florençio
E outros nobres sertanejos
Quando perto vi que era
O Vieira e Vieirinha
Zico e Zeca e o mano Líu
Cantando a Sementinha

Nesse sono tão lindo eu vi Jacó e Jacózinho
A Inhana e o Cascatinha, e o meu saudoso amigo Barrinha
São amigos que se foram e só deixou recordação
São peças que partiram e não tem reposição.

Eu vi o Edgar de Souza
Anunciando cantante
Vem entrando Dino Franco
Bem ao lado do Belmonte
Mouraí sorriu contente
Por rever o velho amigo
Que com palavras tão belas
Lembravam tempos antigos

Com talento Carreirinho
Ponteava o canoeiro
Todo mundo silenciou
Para ouvir o Zé Carreiro
Nesta roda de viola
Vi o Goiano e o Barrerito
Em poesias de saudade
Pelas ruas do infinito