Talvez Eu Morra Sozinho
Lourenço e Lourival

Ouço sempre a voz do povo
Dizer sempre que sou orgulhoso em pensar que sou alguém
Que de tudo faço pouco
Vivo a sorrir como um louco não sorrindo pra ninguém
De que sorrir se não há graça
Ninguém sabe o que se passa dentro do meu coração
Se for orgulho ser triste
Esse é o orgulho que existe da minha desilusão.

Levo em cada melodia
Emoção e alegria a cada um de vocês
Tudo que eu sinto agora
Não há forte que não chore vou confessar de uma vez;
Vejo alguém no pensamento
Ouço a todo momento uma voz dizendo assim:
Esqueça o juramento meu
Aqui deixo um adeus nunca mais pense em mim

Vejo meu carro correndo
Na estrada se perdendo a menina que eu adoro
Um perigo a todo instante
Debruçado no volante quantas lágrimas eu choro
Já não canto a vida
Com a esperança perdida não procuro mais caminho
Sinto o fim já muito perto
Na solidão do deserto talvez eu morra sozinho