Cordeiro de Deus
Ludmila Ferber

Digno és, Senhor
De tomar o livro
E de abrir-lhes os selos
Mas abre os meus olhos
Para ler os sonhos
Do teu coração

Digno és, Senhor
Porque foste morto
E com o teu sangue
Compraste para Deus
Gente como nós, gente como eu

E para o nosso Deus
Nos fizeste ser reis e sacerdotes
Para governar e ministrar a cura
Sobre toda a Terra

Cordeiro de Deus
Amado Senhor
O desejado das nações
Adorado, adorado, adorado, adorado
O desejado do meu coração