Crepúsculo
Maldita

Mutilações indizíveis ao espírito.
Angustia me aperta até sufocar.
As camas estão sujas
De sangue e de vinho.
É o crepúsculo de um novo dia
E eu sei que eu não vou levantar.

Imagens caiem
Como neve...
Eu vou para o bar, mas não posso falar.
Tinha uma menina
Do outro lado da rua.
É o eterno inverno.
Não deixa eu me aproximar.

Acenda uma vela, que eu quero enxergar
Mas o pecado do meu lado e eu não vou me rebaixar.
Deitado na minha cama, 300 miligramas.
Olho para o crucifixo, começo a chorar
Deitado o dia inteiro.
Em estado de espelho, mas eu não me arrependo.
Deitado na minha cama, 300 miligramas.
Olho para o crucifixo começo a rezar.

Acenda uma vela, que eu quero enxergar
Mas o pecado do meu lado e eu não vou me rebaixar.
Deitado na minha cama, 300 miligramas.
Olho para o crucifixo, começo a chorar.

Acenda uma vela, que eu quero enxergar
Mas o pecado do meu lado e eu não vou me rebaixar.
Deitado na minha cama, 300 miligramas.
Olho para o crucifixo, começo a chorar
Deitado o dia inteiro.
Em estado de espelho, mas eu não me arrependo.
Deitado na minha cama, 300 miligramas.
Olho para o crucifixo começo a rezar.