Preconceito
Maneva

Escracha a vida do pobre
Ou mastiga ou cospe
O faz da vergonha um detento
Fala do preto, do pardo
Do gordo e do magro
Não fogem ao teu julgamento

Julga sem dar chance
De se mostrar

O mais importante são festas e fotos
Na taça gelada mais um espumante
Deseja riquezas pro umbigo
Não deseja nada melhor
Para seu semelhante

Ser sempre o tal
Estar acima do bem do mal

Mas use isso pra ficar mais forte
Seja a lâmina que faz o corte
E que as palavras, elas sejam o sal
E queimem nas feridas de quem o trata mal

Preconceito existe temos que viver
Todos têm lições ainda a aprender
Mas se não é no amor a igualdade e a paz
Então será na dor que seremos iguais

Não olha no olho daquele que canta
Teu lixo teu nojo que joga ao chão
Ou das minorias extremas do povo
Que só diminui para sua diversão

Prazer do cão
Que forma escravos da depressão

Saiba que é isso que causa a morte
Das boas ideias da linda expressão
Isso envenena mais a vossa alma escura
Que se mantêm perto do chão

Quer causar dor
Pra aliviar sua dor

O segredo é se manter em pé
Receber o golpe ter a fé
Que a espada que fere seu algoz
Está viva e afiada na sua voz

Lembra que o justo não depõe
Contra a justiça e contra o amor
Não fica I'móvel frente o caos
Nem julga o dito não ?normal?

Escracha a vida do pobre
Ou mastiga ou cospe
O faz da vergonha um detento
Fala do preto, do pardo
Do gordo e do magro
Não fogem ao teu julgamento

Julga sem dar chance
De se mostrar

O mais importante são festas e fogos
Na taça gelada mais um espumante
Deseja riquezas pro umbigo
Não deseja nada melhor
Para seu semelhante

Ser sempre o tal
Estar acima do bem do mal

O segredo é se manter em pé
Receber o golpe ter a fé
Que a espada que fere seu algoz
Está viva e afiada na sua voz

Lembra que o justo não depõe
Contra a justiça e contra o amor
Não fica I'móvel frente o caos
Nem julga o dito não ?normal?

Lembre que o rancor pode machucar
Vista-se de amor deixe-se doar