A Dormideira
Marco Brasil

A mulher da minha vida não é flor que se cheira
É birrenta certas horas, é briguenta e faladeira
Eu tenho visto o diabo nas mãos dessa fera humana
É uma gata selvagem, porém, tem uma vantagem é muito boa de cama

(Refrão)
Dormideira, boa de cama, outra coisa ela não faz
Só sabe roncar demais, sete noites da semana

Lá em casa toda noite é a mesma ladainha
Ela deita e não me chama, gosta de dormir sozinha
Num segundo está roncando, chega estremecer o chão
Eu me sinto rejeitado vendo um corpo desmaiado em cima do meu colchão

No otro dia bem cedo a dormideira levanta
vem dizendo sorridente que dormiu feita uma santa
De repente num abraço vira tudo brincadeira
Com minha cara de sono eu só sei dizer que amo, minha linda dormideira