Águas da Saudade
Milionário e José Rico

Nestas águas paradas e calmas
Que demonstram poesia em tudo
Sinto um turbilhão em minha alma
Que às vezes quase fico mudo
Contemplando esta bela paisagem
Que conforta o meu coração
Sobre as águas eu vejo a imagem
De quem deu-me esta solidão
Nestas águas tranquila e serena
É causa da minha paixão
Estas águas roubou me a morena
Que foi dona do meu coração.

O barquinho que ela remava
Hoje dorme no fundo das águas
A mulher que eu mais adorava
Hoje é a razão desta mágoa
Toda noite em grande agonia
Adormeço chorando de dor
Recordando as juras que um dia
Ela fez ao me dar seu amor.

Hoje ela está junto de Deus
Me espera quando eu chegar
E os lábios que já foram meus
Novamente eu irei beijar