Lembrança de Um Boiadeiro
Milionário e José Rico

Fui passear na casa de um boiadeiro
E vi um laço pendurado na parede
Um velho basto com peitoral de argolas
E um cantil que amenizava sua sede

Vi um berrante la no prego pandurado
E um par de botas que ele nunca mais usou
Fiel amigo por seu corpo ja cansado
E um couxinil qu eserviu de cobertor

Ei, ei biadeiro
Quanta boiada por você foi transportada
Ei, ei boiadeiro
Só a saudade no seu peito fez morada

Vi o retrato do cavalo e do cachorro
Que com orgulho mostra sempre com carinho
Um par de esporas que naqueles velhos tempos
Rasgavam marcas nos seus passos no caminho
Uma goiaca sem dinheiro representa
O que da vida simplesmente lhe restou
Velhas lembramças e a sua esperiência
Foi o legado que o boideiro ganhou

Ei, ei biadeiro
Leva o passado sempre vivo na memória
Ei, ei biadeiro
A sua vida já faz parte da história

Ei, ei biadeiro
Quanta boiada por você foi transportada
Ei, ei boiadeiro
Só a saudade no seu peito fez morada