Ninguém É de Ninguém
Milionário e José Rico

Quantas vezes amanheci acordado
Soluçando e chamando seu nome
É grande o meu martírio
É muito sofrimento

Parece pobre homem
Quando o dia se vai outra noite logo vem
É certo aquele ditado
Que nesta vida ninguém é de ninguém
Quando a noite se vai outro dia logo vem

É melhor morrer no deserto
Quando jamais gritarei por ninguém
Quando la noche se va
Outro dia luego viene
Es mejor morir en no desierto
Donde jamas gritare por mi bien

Quando el dia se va
Outra noche luego viene
Es mejor morir en no desierto
Donde jamas gritare por mi bien