Amigo Urso
Moreira da Silva

Amigo urso, saudação polar
Ao leres esta hás de te lembrar
Daquela grana que eu te emprestei
Quando estavas mal de vida e nunca te cobrei.
Hoje estás bem e eu me encontro em apuros,
Espero receber e pode ser sem juros.
Este é o motivo pelo qual lhe escrevi,
Agora quero que saibas como me lembrei de ti.

Conjecturando sobre a minha sorte,
Tranportei-me em pensamentos ao Pólo Norte,
E lá chegando sobre aquelas regiões,
Vai vendo só quais as minhas condições:
Morto de fome, de frio e sem abrigo
Sem encontrar em meu caminho um só amigo,
Eis que de repente vi surgir na minha frente,
Um grande urso, apavorado me senti.
E ao vê-lo caminhando sobre o gelo,
Porque não dizê-lo, foi que me lembrei de ti.

Espero que mandes pelo portador,
O que não é nenhum favor,
Estou te cobrando o que é meu.
Sem mais, queiras aceitar um forte amplexo
Deste que muito te favoreceu:
Eu não sou filho de judeu,
Dá cá o meu.