Merenguêra
Olivar Barreto

Anun
Bica os meus olhos
Planta no balcedo
Planta os dois guaranás
Forte é o chão da lua nova
Braço de cabano, choro de quem baixa-mar
Nem que o sonoro vare a noite vadio
Da Sacramenta para o Brasil
Nem que tu venhas, merenguêra, dançar
Nem que tu venhas pra merengar

Pássaro-canto nas entrepernas da manhã
Índia cabocla feiticeira iauacanã
Fruta fruteira beida de rede igarapé
Morena linda tucuna ri tucunaré

Mela me bréia, puçangueira, me dá
Da goma quente do tacacá
Mela de novo, puçangueira, vem cá
Deixa o meu povo se levantar

Água doce amargou no fim
Canto o suor, palavra ruim
Livre ou preso canto o cantar
De Belém do Pará