Sina de Cantador
Os 4 Gaudérios

Nasci nos pagos sulinos, sou filho de campeador
Mas trago amor pela arte, e a sina de cantador
Em cada lugar que chego, meu verso chega primeiro
Trago o Brasil na garupa, no meu cantar galponeiro

Em cada canção que canto, eu vou mudando de assunto
E sempre que eu abro o peito o Rio Grande canta junto

Eu canto as lidas de campo, também as dores da alma
O meu maior pagamento, é o povo batendo palma
O canto dos passarinhos, a fé, as matas e os rios
E a história que foi gerada, no grito de algum bugio

Em cada canção que canto, eu vou mudando de assunto
E sempre que eu abro o peito o Rio Grande canta junto

Meu canto fala dos mates, irmanando continentes
Das noites enluaradas, de geadas, chuvas e enchentes
Fala de cusco e cavalo, tropéis e voz de clarim
Eu me arrancho em cada verso, pois fazem parte de mim

Em cada canção que canto, eu vou mudando de assunto
E sempre que eu abro o peito o Rio Grande canta junto