No Trem da Vida
Padre Zezinho

No trem da vida meio errada que vai,
Por trilhos que é preciso até refazer,
Dormentes que já não seguram mais nada,
Assim viaja a humanidade infeliz.

É livre, mas não sabe nem bem pra quê.
Faz tudo, mas não faz direito o que faz.
E pensa que fazer aquilo que quer é ser livre.
Convém que alguém, um dia, grite pro mundo sem paz!

Não adiantou fazer tudo aquilo que você sonhou.
Fazer tudo aquilo que você bem quis.
Se quando alcançou você não foi feliz.

Não fez o querer e nem fez o dever,
Achou que ser livre é fazer o que se quer, mas não é.
Eis nossa fé!

Quem não descobre os limites do ser,
Vive pra ter, mas não sabe viver.

Não adiantou fazer tudo aquilo que você sonhou.
Fazer tudo aquilo que você bem quis.
Se quando alcançou você não foi feliz.

Não fez o querer e nem fez o dever,
Achou que ser livre é fazer o que se quer, mas não é.
Eis nossa fé!

Quem não descobre os limites do ser,
Vive pra ter, mas não sabe viver.