Os Dois Caminhos
Padre Zezinho

Feliz e bem aventurado
Feliz e bem aventurado
Feliz e bem aventurado

Quem não ouve os palpites errados!
Quem não ouve os palpites errados!

Feliz é aquele que não se desvia
Do reto caminho que herdou de seus pais
Não perde seu tempo com mas companhias
Em tudo o que faz põe segredos de paz

Igual arvoredo a beira do rio
Todos no seu tempo que deles espera não sabe
Ter medo dos mares bravios

Que mesmo em tormenta não se desespera
É tão diferente esta noite sem dias
De quem foi cedendo e fugindo de Deus
Esbanja seu tempo em conversas vazias

Mudando ao sabor do que mais lhe convém
Igual bolha seca aos sabores do vento dos seus pensamentos
Não nutre esperanças, não crê, não espera
Não tem mais alento ou se desespera por que não alcança