Tu Que Foste Criança
Padre Zezinho

Tu que foste criança Jesus
E sofreste a pobreza também
Que ao nascer numa noite de luz
De ternura inundaste Belém
Tu que sabes o frio que faz
Quando falta um lugar pra morar
A todas as crianças do mundo
Concede a graça de um lar
A todas as crianças do mundo
Concede a graça de um lar

Tu que foste esperança de paz
Mas tiveste também que fugir
Do poder que seria capaz
De matar para não repartir
Tu que sabes o quanto doeu
O exílio tão longe do lar
A todos os migrantes do mundo
Concede a paz de um lugar
A todos os migrantes do mundo
Concede a paz de um lugar

Tu que foste criança feliz
E tiveste a ternura de um lar
Tem piedade do nosso país
Que nem sempre consegue amparar
As crianças sem pai nem ninguém
Que nas ruas eu vejo a vagar
Ensina os que mandam no mundo
Por onde recomeçar
Ensina os que mandam no mundo
Por onde recomeçar