Não Sou de Pedra
Solteirões do Forró

Perdoa-me
Nan nan não
Que vou fazer..
Eu te juro que perdi toda a razão, perdi a noção do tempo por
engano.
Quis pra minha vida um casal eterno por pensar que era astro do
teu filme de amor.
Vivo entre celas, condenado e jogado a solidão.
Pensando que um dia foi minha rainha e por tudo isso peço não
me
esqueça.
Aprendi que a solidão castiga, se tu não estás não tem sentido
a
vida,
Só te peço os teus lábios bem molhados e volte a me amar.
Perdoa-me.
Já não sinto pena, só dói as feridas, encerrado por completo
meu
amor,
é um sentimento amargo e escuro, do qual eu quero nunca mais
provar.
Tu chegaste para pedir meu perdão deixa eu te dizer que eu não
sou de pedra.
Eu não sou tão safada quanto ela e saia da minha mesa por
favor.
Não me peça mais,
Queira-me
pra voltar atrás,
Perdoa-me
voce é muito traiçoeiro, não posso voltar jamais.
Me responda a ti,
Nada mais.
Uma oportunidade.
Me deixastes num sufoco com as suas crueldades.
Nem carinho restou.
Eu sou teu rei,
só escuridão.
Nao volto a fazer.
Vá embora porque meu corpo entreguei pra outro amar.
Perdoa-me,
Nan nan não
Que vou fazer?
Perdoa-me,
Nan nan nan nan nan não
Que vou fazer?