A Voz do Povo
Teodoro e Sampaio

Vieram dizer que a minha amada já não é mais pura
Que na minha casa entrou um homem, que não era eu
No escuro da noite foi visto um vulto de alguém chegando
No dedo um cigarro aceso, queimando
Foi esse o motivo que me convenceu

Às vezes o homem tem que acreditar, na mulher amada
E levar em conta, tudo que ela faz, quando a noite desce
Na arena do amor, ela é cobaia das suas vontades
Ela dá carinho e felicidade, ao homem da casa que não a merece

Distante a verdade abri meus olhos e chorei de dor
De cabeça baixa voltei implorando, os carinhos teus
Pois era meu pai que naquela noite foi nos visitar
E a razão que hoje me faz duvidar
Que a voz do povo é a voz de Deus