Caminhoneiro Sofrido
Teodoro e Sampaio

Sou caminhoneiro forte que não perde a esperança
Luto pela nossa classe que precisa de mudança
Sigo o meu itinerário fé em Deus e muito cuidado
Com o perigo das estradas do nosso Brasil amado

Hoje eu vou rasgar o pano e falar de peito aberto
Eu não sou contra o pedágio mas não acho o preço certo
Está marginalizando caminhoneiro sofrido
Escapa dos radares e cai nas mãos dos bandidos

Meu destino é Deus quem sabe o meu mundo é infinito
Minha casa é de lata o meu sonho é sempre aflito
Com os olhos sempre abertos atento a qualquer ruído
Vou dormir pensando nela acordo com arma no ouvido

Precisamos de um remédio pra ver se essa doença sara
Se o caminhão não rodar o Brasil inteiro para
Sem ódio sem preconceito cumprindo a minha jornada
O meu aperto de mão a todos irmãos da estrada

Deus está sempre comigo quando a curva é perigosa
Pulso firme no volante atenção e pouca prosa
Quando a saudade castiga meu coração cria asa
Vou rever minha família como é bom voltar pra casa

Todo bom caminhoneiro que eu topar na minha frente
Vou estar cumprimentando sorrindo muito contente
Vamos pedir outra vez do senado ao presidente
Quem tiver poder nas mãos por favor tem dó da gente