O Avalista
Teodoro e Sampaio

Falado:
- Olá, seu Tacacaranococho
- Tudo bem?
- Japonês vai vivendo no meu custa. O que, que tu quer?
- Eu preciso muito falar com você
- Qual é o problema?
- É o seguinte, eu fiz compra na Loja do Seu Benjamim, comprei roupa, sapato, mas quando falei pra ele que era a prazo ele me pediu um endossante
- O Senhor quer que eu endossa?
- É japonês, você é meu amigo
- Japonês não é açúcar. Não endossa, mesmo
- Japonês me quebra esse galho
- E se o senhor não pagar?
- Eu pago Japonês
- O senhor paga todo o vencimento?
- Eu pago
- Promessa tinha feito que endossava, mas garantido que o senhor veio procurar, garantido endossa. Pode deixar se não pagar quebra violão na cabeça do senhor
- Japonês, obrigado!

Sampaio, meu grande amigo comia no mesmo prato
Me levou pra fiador pra comprar roupa e sapato
Comprou tudo pra família na loja do Benjamim
Mas na hora de pagar a conta ficou pra mim

Papagaio come milho, periquito leva a fama
Sampaio anda bem vestido japonês dançou na grana
O safado embrulhão para a conta não importa
Todo me o Benjamim vem bater na minha porta

- Aquele da roupa vermelha, combradoro! Que, que o senhor quer aqui?
- Sou empregado da loja do seu Benjamim. Aquela que o senhor foi avalista do Sampaio
- Sampaio não pagou ?
- Não, não pagou. Faz trinta dias que ele não paga
- ta vencido e se não pagar com faz?
- Se não pagar vai a protesto
- Não protesta, nome de Japonês fica sujo?
- Fica
- Então eu limpa nome. Japonês paga, pede desculpa. Pega Sampaio no karatê na cara dele. Eu vou pagar, mas desconta no lombo de Sampaio.

Já não tem homem direito como havia antigamente
Que a palavra valia, hoje em dia é diferente
Nem mesmo pro meu irmão não vou ser mais avalista
Quem quiser comprar de tudo vai na loja e compra a vista