O Beijo do Adeus
Teodoro e Sampaio

Devolva todas minhas coisas porque não lhe servem

Arrume tudo numa caixa que eu vou buscar

À noite vou bater na porta com toda tristeza

Você vai rever aquele que não consegue amar.

Se acaso perceber em mim o cheiro de bebida

Confesso precisei coragem pra rever você

Não pense que eu sou boêmio, pois não sou ainda

Mas hoje para não chorar, tive que beber.

Prefiro aparecer à noite pra esconder meu rosto

Cansado por essa saudade que me fez sentir

Ainda quero lhe pedir com muita esperança

Junto com as coisas quero por lembrança

O beijo do adeus pra depois sumir.