O Desejo da Carne
Teodoro e Sampaio

Jurei a mim mesmo não voltar jamais
À este lugar em busca de prazer
Mas aqui ainda mora quem eu amo
Razão pela qual consigo viver

Não me considero falso comprador
Que vem exigir beleza e charme
Que cospe no prato depois do jantar
Voltando somente para alimentar
O insaciável desejo da carne

Entre os que vem comprar seus carinhos
Eu também me encontro apaixonadamente
Mas uma mulher que é de todos homens
Não consegue mesmo ser de um somente

Venho toda noite aqui nesta casa
Para conquistar o amor que desejo
Mas do meu carinho ela só desfaz
Entrega seu corpo a quem lhe der mais
Pra satisfazer sua sede de beijo

Se fosse possível a gente escolher
O próprio destino da realidade
Na certa que todas as mulheres do mundo
Seriam madames da sociedade

Porém se existe as damas da noite
Eu não ignoro, pois pensando bem
Elas não tem culpa da sorte mesquinha
Por ser entre as flores a erva daninha
E acima de tudo ser gente também