O Mordomo
Teodoro e Sampaio

Era sexta-feira estava véspera
De uma grande festa lá no terreirão
A colônia inteira compareceria
Casa a filha do nosso patrão
E eu que na casa da noiva morava
E muito lhe amava e jamais demonstrei
Na véspera do sábado do seu matrimonio
O fim dos meus sonhos escondido chorei

Se ela soubesse que naquela noite
Sentindo o açoite do amargo desgosto
A morte seria pra mim a melhor coisa
Pra vê-la de noivo de noiva nos braços de outro

Mas ela inocente da realidade
Com toda amizade veio me dizer
Feliz eu estou por que vou me casar
Si sinto deixar meus pais e você
Agora é bom que você adormeça
Pra que amanheça com o seu talento
E nosso mordomo e esta escalado
Pra servir os convidados do meu casamento