O Ricaço da Cerveja
Teodoro e Sampaio

Há muito tempo passado numa cidade do interior
Um menino muito pobre, filho de homem trabalhador
Perdeu seu querido pai, a mãe sem recurso de vida
Quando a fome lhe apertava ele saia pedir comida

Num bar daquela cidade pediu para um grã-fino
Que tomava uma cerveja olhando para o menino
Perguntou se tinha pai, o garoto disse não
O ricaço retrucou "Vai trabalhar pra ganhar o pão"

E naquele mesmo bar existia um pobre homem
Que pagou logo um salgado, matando a sua fome
O menino agradeceu "Deus que ajude o senhor"
Pedi por necessidade, mas eu sou trabalhador

No outro dia bem cedo saiu pra rua engraxando
Com um caixote nas costas, alguns freguês procurando
Começou ganhar dinheiro daquele dia em diante
Ao completar sete anos foi ser um bom estudante

Aos vinte e três se formou, aos trinta estava casado
Trabalhou muito e venceu, sempre foi um homem honrado
O povo ao perceber a sua capacidade
Pediu que se candidatasse a prefeito da cidade

Por ser amigo de todos, aceitou a opinião
Disputou com o ricaço e ganhou a eleição
O ricaço da cerveja ficou pobre aquela altura
Pra poder ganhar a vida, hoje é empregado da prefeitura