Seu Nome
Teodoro e Sampaio

Já escrevi o seu nome por todos os cantos
Muros, paredes de casa
E até nas gotinhas
Que caem do meu pranto

Se pego a caneta na mesa
Com tanta tristeza começo a chorar
De cada gota eu faço uma letra
Devagarinho torcendo a caneta
Escrevo o seu nome na mesa de um bar

Chorei, chorei
Chorei de saudade
Chorei, chorei
Chorei de saudade

Todas as noites seu nome me serve de reza
Vivendo essa dor que me arrasa
Pergunto sozinho
Por que me despreza?

Se pego a viola
Eu faço do meu desabafo canções pra você
Em cada verso escrevo seu nome
E de mansinho a dor me consome
Do jeito que faço não vou te esquecer

Chorei, chorei
Chorei de saudade
Chorei, chorei
Chorei de saudade