Santa Branca
Tetê Espíndola

Na varanda da casa
Mala pronta e cheia de medo
E as pessoas sorrindo sinistras do meu silêncio
Assuntando do meu futuro

De escola a capital
Anel de grau
No lugar da bombacha, um terno doutoral.

Minha mãe na estação me dizia
Meu filho cuidado
Minha mãe apontava chorando
Uma janela do trem

De repente eu estava do lado de lá
Da janela
Do lado de lá
Do lado de lá

Santa Branca até um dia
Que o trem corria pelo campo
Molhado de fim de dia (ai, ai!)
Santa Branca eu te dizia
Adeus e a Deus pedia
Pra um dia eu voltar