Frágil
Zeca Baleiro

Põe-me o braço no ombro
Eu preciso de alguém
Dou-me com toda gente
Não me dou a ninguém
Frágil
Sinto-me fragil
Faz me um sinal qualquer
Se me vires falar demais
Eu as vezes embarco
Em conversas banais
Frágil
Sinto-me frágil
Frágil
Esta noite estou tão frágil
Frágil
Já nem consigo ser ágil

Esta a saber me mal
Este wisk de malte
Adoravél esta a rima
Estou a me sentir out
Frágil
Sinto me frágil
Acompanha-me à casa
Já não aguento mais
Deposita na cama
Os meus restos mortais
Frágil
Sinto me frágil
Frágil esta noite estou tão frágil
Fragil
Já nem consigo ser ágil