Mania da Gente
Zeca Pagodinho

Nos convidaram pra uma festança
Tinha show de dança e de balé (show de dança e de balé)
Nunca vimos tanta comilança
Enchemos a pança de canapés (Oi de canapés)
Era um clima bem festivo
Do rock progressivo ao hip hop
Bebidas de todo o tipo
Uísque, conhaque, tequila e chopp
Foi um sábado elegante
Curtimos bastante
Com ar de contente
Mas o samba é mania da gente
Mas o samba é mania da gente
A filha da dona da casa
Fez o que podia pra nos contentar
Porém, não sabia a menina
Que o papo da turma era mesmo sambar
E até dançou uma dança espanhola
Dizendo pra gente que era diferente
Só pra demonstrar cultura à gente
O pai da menina um senhor já de idade
Outrora dizia ser compositor
E ainda assistia no videocassete
Um gordo elegante com voz de tenor
E até tivemos que ouvir Pavarotti e Ravel
Que na casa tem alta patente
Só pra confundir a nossa mente
Mas com sorriso no rosto
Lá foi mais um tira gosto
Com jeito de feliz da vida
Um gole e outra bebida
Até caímos numa dança nova
Do lado e pro outro
Pra trás e pra frente
Mas o samba é mania da gente
Mas o samba é mania da gente
Uma casa tão bonita
Nada igual ao meu barraco, todo diferente
Mas o samba é mania da gente
Tanta bebida importada
Mas não tinha uma batida
Nem uma aguardente
Mas o samba é mania da gente
A filha da dona da casa
Toda assanhada
Fingindo inocente
Mas o samba é mania da gente