O Lavrador
Zezé Di Camargo e Luciano

Sou apenas um lavrador
Moro lá no infinito
Na enxada sou doutor
No machado eu sou perito
Os meus versos semeei
No rancho, no balanço do garrancho
Que o sol queimou
No laço, no patacho, no riacho
No braço da viola que consola um cantador

Minha vida pelos campos
Que são tantos pirilampos
Entre troncos e barrancos
Sou feliz e por enquanto
Até o presidente come o que eu planto
Até o presidente come o que eu planto

Sou apenas sonhador
Da raíz e da semente
Não há terra meu senhor
Que eu não faça obediente
Tantos anos já gastei
No gado, no arado e no xaxado de um sanfoneiro
Fiz um filho, sou um livro, plantei árvores
E o resto dos pecados por ser macho tambem desejei

Minha vida pelos campos
Se chover não tem quebranto
A colheita vai ser boa,
Tem fartura eu garanto

Até o presidente come o que eu planto
Até o presidente come o que eu planto

Todos presidentes
Todos brasileiros
Todos eles comem
O que eu planto e o que eu semeio